https://jornalinformativotabaiense.com

Doenças respiratórias são foco do Minist√©rio da Sa√ļde no RS

O secret√°rio de Atenção Especializada do Minist√©rio da Sa√ļde, Adriano Massuda, disse nesta sexta-feira (17) que a principal demanda recebida por profissionais de sa√ļde que estão no atendimento de v√≠timas das enchentes no Rio Grande do Sul são as doenças respiratórias.

Por REDAÇÃO em 18/05/2024 às 09:09:12

O secret√°rio de Atenção Especializada do Ministério da Sa√ļde, Adriano Massuda, disse nesta sexta-feira (17) que a principal demanda recebida por profissionais de sa√ļde que estão no atendimento de v√≠timas das enchentes no Rio Grande do Sul são as doenças respiratórias. Em coletiva de imprensa, Massuda citou ainda que houve aumento na incid√™ncia de doenças gastrointestinais e de infecções de pele, sobretudo em razão do grande n√ļmero de pessoas em abrigos.

De acordo com o secret√°rio, a pasta monitora casos de leptospirose provocados pelo contato com a √°gua das enchentes. "Não h√° nenhum aumento extraordin√°rio, que gere preocupação acima do que precisa ter. Estamos acompanhando", disse.

O ministério também est√° atento ao cen√°rio de dengue no estado, mas, em razão das baixas temperaturas, a doença não preocupa tanto. "Temos notificação, mas também de maneira controlada. A gente tem o benef√≠cio do clima, que é um fator contra o desenvolvimento do mosquito", disse. "Nosso foco, neste momento, são as doenças respiratórias", reforçou.

Hospitais de campanha

Dois hospitais de campanha estão em funcionamento no estado, um em Canoas e um em Porto Alegre, e mais dois devem começar entrar em ação, em São Leopoldo, no próximo fim de semana, e em Novo Hamburgo na semana que vem. "Conseguimos mobilizar no pa√≠s todo profissionais altamente experientes para fazer transporte aeromédico, serviços de atendimento de emerg√™ncia e também profissionais de vigilância em sa√ļde. A gente sabe todo o impacto que tragédias como essa t√™m no crescimento de doenças transmiss√≠veis, que estão sendo acompanhadas, controladas."

Os profissionais que atuam nos hospitais de campanha são da Força Nacional do SUS. "Lamentavelmente, o Brasil tem enfrentado cada vez mais situações de desastres. Desde 2011, o Ministério da Sa√ļde criou a Força Nacional do SUS para apoiar estados e munic√≠pios que enfrentam essas situações", destacou.

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro
TABAIENSE

Coment√°rios