CERTAJA CLARA
apoiosicredi

Deputados preparam den√ļncia contra o ministro da Economia por empresas em para√≠sos fiscais

Por Jorge Ramos em 04/10/2021 às 09:23:17
Queixa-crime deve ser encaminhada à Procuradoria Geral da República por líderes da oposição na Câmara nesta segunda-feira Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Queixa-crime deve ser encaminhada à Procuradoria Geral da República por líderes da oposição na Câmara nesta segunda-feira Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos, ser√£o alvo de uma representa√ß√£o de líderes da oposi√ß√£o, a ser protocolada junto ao Ministério Público Federal nesta segunda-feira (04), após denúncia de que ambos mant√™m empresas em paraísos fiscais. A apura√ß√£o ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos), batizada de Pandora Papers, tornou-se pública neste domingo (03).

A queixa-crime deve ser encabe√ßada pelo líder do PT na C√Ęmara, Elvino Bohn Gass (RS) e endossada por outros representantes da oposi√ß√£o. O deputado v√™ indícios graves na atua√ß√£o dos dois membros da equipe econômica.

"Com base nas normas do servi√ßo público e na Lei de Conflito de Interesses, o caso sugere que pode ter havido autofavorecimento", declara Bohn Gass, para quem Guedes e Campos Neto devem ser "alvo de uma profunda e rigorosa investiga√ß√£o".

"Estamos falando de dois dos mais importantes respons√°veis pela condu√ß√£o da política econômica do País neste momento. Em nome da lisura e da transpar√™ncia, o povo brasileiro tem o direito a essas informa√ß√Ķes", completou o líder do PT.

J√° a deputada Jandira Fegalli (PCdoB/RJ) declara que a revela√ß√£o, todavia, n√£o a surpreende. E ressalta que "a legisla√ß√£o brasileira proíbe que membros da cúpula do governo mantenham este tipo de negócio".

Paulo Guedes afirmou que mantém a empresa aberta e n√£o respondeu se fez alguma movimenta√ß√£o ou a natureza de uma possível opera√ß√£o do tipo. A assessoria do ministro também destacou que ele se desvinculou de toda a atua√ß√£o no mercado privado, "nos termos exigidos pela Comiss√£o de Ética Pública".

Fonte: O SUL

Comunicar erro
SICREDI2
CLARA TABAI CENTER

Coment√°rios

M. VALE-PEDRO-BRILHO
BARBA/BRILHO
SICREDI3