CERTAJA CLARA
apoiosicredi

Nove em cada 10 óbitos por Covid-19 em adultos jovens são de pessoas sem vacinação completa

Por Jorge Ramos em 13/11/2021 às 07:09:34
Conforme registro no sistema de imunizações, quase 1 milhão estão com a segunda dose em atraso no RS - Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

Conforme registro no sistema de imunizações, quase 1 milhão estão com a segunda dose em atraso no RS - Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

Levantamento da Secretaria da Saúde (SES) aponta que 92% dos óbitos por coronavírus no Estado na faixa et√°ria até 39 anos ocorreram com pessoas sem o esquema vacinal completo. Entre os idosos, 99% das mortes por Covid-19 s√£o entre pessoas sem a vacina√ß√£o de refor√ßo.

Os dados servem de alerta para que a popula√ß√£o volte aos postos para completar o esquema b√°sico de duas doses e para que as pessoas acima de 60 anos fa√ßam a terceira dose. Até este momento, o Rio Grande do Sul conta com 82% da popula√ß√£o adulta (acima de 18 anos) com o esquema vacinal completo. E 26% dos idosos j√° realizaram a dose de refor√ßo.

Divulgado na quinta-feira (11/11), os dados de óbitos entre n√£o vacinados foram calculados sobre as ocorr√™ncias com início de sintomas nas últimas 10 semanas (desde 29/8). Nesse período, foram 516 interna√ß√Ķes hospitalares de pessoas até 39 anos por Covid-19, sendo 81% sem imuniza√ß√£o completa. Desses 516 casos, foram 38 mortes, 92% em pessoas que n√£o haviam feito nenhuma dose ou com apenas uma dose recebida.

No mesmo período, houve cerca de 2,7 mil hospitaliza√ß√Ķes por conta do coronavírus em pessoas com 60 anos ou mais. Desses, 99,2% n√£o haviam realizado a dose de refor√ßo. Foram 905 óbitos entre esse total de interna√ß√Ķes, dos quais em 99,3% a pessoa n√£o havia realizado a terceira dose.

Os números e percentuais foram tema de reuni√£o entre representantes da SES com o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS). Juntamente com os municípios, o Estado busca mobilizar a sociedade e as equipes de saúde para seguir avan√ßando na campanha de vacina√ß√£o.

"Esses dados s√£o muito objetivos em mostrar que, na pr√°tica, por falta de registro, desleixo ou outra raz√£o, a popula√ß√£o est√° deixando de buscar a prote√ß√£o coletiva. Corremos o risco de ficar com os estoques cheios de vacina ou ent√£o deixar vencer a validade dos imunizantes porque as pessoas n√£o est√£o buscando as unidades para se vacinar. A situa√ß√£o passou a nos preocupar muito", afirma a secret√°ria da Saúde, Arita Bergmann.

Chefe da divis√£o epidemiológica do Centro Estadual de Vigil√Ęncia em Saúde (Cevs), Tani Ranieri aponta ainda o fato de que estamos próximos do ver√£o, período caracterizado por um grande aumento de pessoas no litoral e maior possibilidade de aglomera√ß√Ķes.

"S√£o situa√ß√Ķes que podem fazer com que tenhamos um aumento do número de casos, favorecendo a forma√ß√£o de novas variantes com maior potencial de transmiss√£o", alerta Tani. "Ainda n√£o temos evid√™ncias científicas suficientes que indiquem qual é a cobertura vacinal ideal da popula√ß√£o para quebrar a cadeia de transmiss√£o do coronavírus", acrescenta.

Quase 1 milh√£o de pessoas com segunda dose em atraso

Outro dado que preocupa as autoridades do Estado e municípios é o de pessoas que deixaram expirar o prazo para a segunda dose (intervalo de 28 dias para a Coronavac e oito semanas para a Pfizer e Astrazeneca).

Conforme o registro oficial do sistema de imuniza√ß√Ķes, é o caso de 968 mil pessoas no RS na quinta (11), entre as quais, 715 mil na faixa até os 39 anos.

Texto: Ascom SES Edição: Secom


Comunicar erro
SICREDI2
CLARA TABAI CENTER

Coment√°rios

M. VALE-PEDRO-BRILHO
BARBA/BRILHO
SICREDI3