CERTAJA CLARA
apoiosicredi

Vale cria quase 800 empregos

Pelo quinto mês consecutivo, região registra mais admissões do que demissões. Saldo acumulado do ano é de 4.506, superior ao resultado do mesmo período em 2019. No RS, setor de serviços lidera a geração de oportunidades

Por Jorge Ramos em 30/09/2021 às 09:05:12
(Foto: Arquivo A Hora)

(Foto: Arquivo A Hora)

A região alcançou, em agosto, o terceiro melhor resultado do ano na geração de novos postos de trabalho. A partir do cálculo dos números de 38 municípios, foram criadas 790 vagas de emprego no Vale do Taquari. É o quinto mês consecutivo onde são registradas mais contratações do que demissões.

Os dados foram divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social, a partir das informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). A análise apresenta ajustes nos números de meses anteriores, devido a afastamentos por motivos como licença saúde, suspensão de contrato, avisos prévios concedidos e retirados.

No acumulado de 2021, desde o mês de janeiro, a região contabiliza 4.506 vagas de emprego criadas. Este resultado é quase o dobro do registrado no mesmo período de 2019, quando o saldo na geração de novas oportunidades de trabalho foi de 2.262. Em 2020, com a economia afetada pela pandemia, foram extintos 2.757 postos nos primeiros oito meses do ano.

Já nos últimos 12 meses, o acumulado de novos postos de trabalho do Vale do Taquari é de 7.277. Desde setembro do ano passado, apenas dois meses encerraram com saldo negativo, conforme dados do Caged.

TABAÍ

ADMISSÕES: 275 DEMISSÕES 180 SALDO 95

Retomada

Para a economista Cintia Agostini, os dados do Caged corroboram com a tese de que há um movimento de retomada da economia do país. "Se percebe uma redução do desemprego. É um momento de retomada das atividades de forma geral. Mesmo entre especialistas que olham mais para a saúde, começam a aparecer análises de que saímos da situação mais crítica", afirma.

No Rio Grande do Sul, o setor de serviços responde por mais da metade das vagas criadas em agosto. Foram 7.446 novos postos de trabalho. O comércio e a construção civil também apresentaram resultados positivos.
"O serviço talvez seja o último setor dessa retomada, e por isso percebemos agora. A construção civil e o agro já tinham uma incidência maior de empregabilidade", ressalta Cintia.

Fora da curva

Dois oito meses do ano, somente em março houve mais demissões do que admissões na região. Naquele mês, o saldo foi de -159. Foi o pior período da pandemia, com a bandeira preta prevalecendo em todo o Vale no antigo modelo de distanciamento controlado e superlotação de leitos de UTI adulto nos hospitais.

Curiosamente, o mês anterior, fevereiro, registrou o melhor resultado de 2021, com 1.361 novos postos de trabalho. Janeiro aparece na sequência, com 979. Desde abril, a região sempre fecha no azul.

Segundo Cintia, o mês de agosto ser o terceiro melhor do ano é significativo, pois representa um crescimento sólido. "Tivemos uma situação de euforia em janeiro e fevereiro, que já vinha de dezembro. Mas aí teve uma queda brusca em março, com a pior onda da pandemia. Por isso este dado demonstra uma retomada mais estável. Gradualmente, voltamos à nossa dinâmica econômica", salienta.

Foto reprodução: A. Hora

Fonte: A. HORA

Comunicar erro
SICREDI2
CLARA TABAI CENTER

Comentários

M. VALE-PEDRO-BRILHO
BARBA/BRILHO
SICREDI3