Vale registra média de contágios abaixo do RS

Nos últimos sete dias, houve redução de quase 17% de novos casos, aponta boletim estadual. Enquanto isso, em todo o RS, dados indicam avanço da pandemia, com quase 20% de aumento nos contágios

Por Jorge Ramos em 26/05/2021 às 08:29:33
Foto divulgação:

Foto divulgação:

Na análise do comportamento da pandemia no RS, o Vale do Taquari apresenta uma situação estável. O boletim do Sistema "3As" foi atualizado às 17h42min de terça-feira, 25. Pelos dados, a região de saúde Lajeado teve uma queda de quase 17% na média móvel de novos casos em sete dias.

Já no somatório das 21 regiões, o Rio Grande do Sul tem uma escalada nos contágios. Pelos dados, a taxa de novos contágios nos últimos sete dias indica um aumento de 19,4%.

Diante da nova atualização, das 21 localidades gaúchas, o Vale do Taquari é uma das três que não teve nenhum apontamento pelo sistema de controle da pandemia do governo estadual.

Junto com a região de Lajeado, tem ainda Taquara e Canoas com um indicativo de estabilidade. As 18 restantes estão em algum dos estágios previstos pelo sistema "3As".

Na macrorregião de saúde na qual o Vale faz parte, Santa Cruz está na lista de avisos do Estado. Já Cachoeira do Sul, apresenta os piores indicadores em termos de novos casos, ocupação hospitalar e incidência de óbitos. Como obrigação, precisa adotar medidas mais restritivas.

Justo por essa proximidade com o Vale do Taquari, o comitê de crise local alerta para o risco de uma nova onda nas próximas semanas. "É uma questão de tempo ou de conseguirmos nos antecipar e reduzir a circulação do vírus antes do aumento na demanda hospitalar", exemplifica um dos integrantes do comitê regional de dados, o secretário da Fazenda de Lajeado, Guilherme Cé.

Como estratégia de controle regional, se estabeleceu como primeiro critério de análise o primeiro atendimento de pacientes com síndrome gripal nos postos de saúde, UPA e emergências.

Busca por atendimento

Ainda que os indicativos sejam de redução nos contágios, o comitê de dados da região acredita ser necessário manter a vigilância para evitar novas restrições e a suspensão das aulas.


Com base no modelo de acompanhamento adotado na região, Lajeado verifica aumento na média de atendimento nos postos de saúde e na UPA. Na primeira semana deste mês, por dia cerca de 54 pacientes iam até o serviço de saúde pública com sintomas gripais.

Na segunda semana, pulou para 75 atendimentos. Hoje, conforme Guilherme Cé, são cerca de 90 pessoas por dia com sintomas gripais nos postos e na UPA.Nest

e momento, a dificuldade está em diferenciar quais adoeceram por alguma gripe sazonal e quais estão com covid-19. "Saberemos disso nos próximos dias. Pela nossa experiência, quando há aumento nos atendimentos por covid, a ocupação hospitalar sofre algum impacto na segunda ou terceira semana", explica Cé.

Uma nova análise semanal do grupo do Vale é prevista para quinta-feira. As recomendações do grupo técnico serão levadas para a Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), que tem assembleia marcada para a sexta-feira.

Crédito: A. Hora - Por Filipe Faleiro

Comunicar erro
JORNAL TABAIENSE

Comentários

M. VALE-PEDRO-BRILHO
BARBA/BRILHO