https://jornalinformativotabaiense.com
CERTAJA 5

Rio Grande do Sul registra a quarta morte por dengue em 2024

Por REDAÇÃO em 20/02/2024 às 08:15:04
É o segundo óbito registrado nesse município este ano. (Foto: Flávio Carvalho/WMP Brasil/Fiocruz)

É o segundo óbito registrado nesse município este ano. (Foto: Flávio Carvalho/WMP Brasil/Fiocruz)

Uma mulher de 64 anos, com comorbidades e moradora da cidade de Tenente Portela (Noroeste gaúcho), é a quarta pessoa morta pela dengue no Rio Grande do Sul neste ano. De acordo com o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), o óbito da idosa ocorreu no dia 15, mas a confirmação da causa foi registrada nessa segunda-feira (19).

Tenente Portela apresenta o maior número de casos confirmados no Estado, sendo este o segundo óbito na cidade neste ano. Dos 4.784 casos confirmados em todo o Rio Grande do Sul neste ano, 1.231 estão nesse município.

Até o momento, o Estado apresenta circulação do sorotipo DENV1.

A SES reforça que as pessoas devem procurar atendimento médico nos serviços de saúde assim que perceberem os primeiros sintomas. Dessa forma, é possível evitar o agravamento da doença e a possível evolução para óbito.

Confira os principais sintomas:

* Febre alta (39¬įC a 40¬įC), com duração de dois a sete dias;
* Dor retroorbital (atr√°s dos olhos);
* Dor de cabeça;
* Dor no corpo;
* Dor nas articulações;
* Mal-estar geral;
* N√°usea;
* Vômito;
* Diarreia;
* Manchas vermelhas na pele, com ou sem coceira.

A população deve tomar medidas de prevenção à proliferação e à circulação do mosquito Aedes aegypti, limpando e revisando √°reas internas e externas das resid√™ncias ou apartamentos para eliminar toda √°gua parada dentro de objetos. Essa atitude simples impede o mosquito de nascer, cortando o ciclo de vida dela na fase aqu√°tica. O uso de repelente também é recomendado para maior proteção individual.

Situação epidemiológica

Neste ano, o Rio Grande do Sul registra 4.784 casos confirmados da doença, sendo 4.221 autóctones – quando o cont√°gio aconteceu dentro do Estado. Os demais são importados, ou seja, residentes do Estado que foram infectados em viagem a outro local.

Em 2023, foram mais de 34 mil casos autóctones. Ao todo, foram 54 óbitos em virtude da dengue no ano passado.

O SUL


Comunicar erro
TABAIENSE

Coment√°rios

CERTAJA 3